segunda-feira, 22 de agosto de 2011

                                                     c-s-lewis

Biografia de C. S. Lewis 

  

Nesta seção, a Sociedade C. S. Lewis traz a você uma biografia simplificada, mas com detalhes sobre os quais você nunca ouviu, da vida de C. S. Lewis. O texto foi produzido pela própria direção da Sociedade, que se reserva ao direito de uso exclusivo dele. Boa leitura!
~*~
C. S. Lewis (pseudônimo de Clive Staples Lewis) nasceu em Belfast, na Irlanda do Norte, em 29 de Novembro de 1898. Filho de Albert e Flora Lewis, C. S. Lewis tinha apenas um irmão, Warren Lewis. A família era de fé anglicana e frequentava a Igreja da Irlanda.
Quando contava com 4 anos de idade, ao apontar para se mesmo, apelidou-se de Jacksie, que mais tarde foi abreviado para Jack. Foi assim que Lewis ficou conhecido entre seus amigos próximos até sua morte e como, por inúmeras vezes, ele assinou suas cartas. C. S. Lewis, que gostava de apelidar as coisas, apelidou seu irmão de Warnie.
Ainda nesta época, Jack começou a inventar histórias junto com seu irmão, que era três anos mais velho. Uma delas tratava de um reino com ratos, sapos e outros animais falantes, que foi chamado deBoxen. Lewis nunca chegou a escrever um livro com as histórias desse reino de fantasia mas, anos depois, após a morte do irmão, Warnie fez uma compilação e a publicou. Além de Boxen, Lewis ainda escreveu ensaios, contos e romances.
Também nesses anos, por causa das chuvas e da forte ameaça de tuberculose, Lewis ficava muito tempo dentro de casa, em um de seus passatempos favoritos: esconder-se dentro de um velho guarda-roupa feito de carvalho pelo seu avô, Richard Lewis. Nas memórias da prima de Lewis, Clarice, Jack ficava contando suas aventuras enquanto brincavam no grande armário.
Em 1907, foi descoberto um câncer em Flora, a mãe de Lewis. Ela passou por uma cirurgia em fevereiro de 1908, mas acabou falecendo em 23 de agosto do mesmo ano – mesmo dia do aniversário de Albert, seu marido. Durante o sofrimento da esposa e após a sua morte, Albert se fechou, como se houvesse esquecido a existência dos filhos. Com isso, Jack e Warnie passaram a sentir que só podiam confiar um no outro.
No mesmo ano, Lewis foi enviado para estudar na Wynyard School, em Watford. Com problemas de adaptação, ele seguiu depois para a Campbell College, perto de sua casa em Belfast, concluindo seus estudos.
Em 1911, Lewis foi estudar na Inglaterra. Escreveu ao pai muitas vezes pedindo para ser retirado da sua escola, onde não conseguia se adaptar, chegando até a ameaçar suicídio. Na época em que estudou na Inglaterra, Lewis escreveu uma peça em que apresentava uma nova versão do mito nórdico de Bound. Anos mais tarde, Lewis reconheceu que o personagem Loki representava ele mesmo e que, além disso, na sua adolescência não acreditava em Deus e, ao mesmo tempo, ressentia-se do fato de que Ele não existisse e estava triste por este Deus – existindo ele ou não – ter criado um mundo tão cheio de falhas. Novamente pela falta de adaptação, no dia 19 de setembro do mesmo ano, Lewis inicia suas aulas particulares com William T. Kirkpatrick, conhecido como O Grande Crítico, que também foi tutor de seu pai.
Em 1914, em uma das festas na Irlanda às quais ia nos dias livres com a família, ele conheceu Galahad (apelido de Arthur Greeves), com quem manteve correspondência até o fim da vida. Lewis ficou na casa de Kirkpatrick até abril de 1917. Em dezembro de 1916, Lewis conseguiu uma bolsa de estudos na Universidade de Oxford. Lá, CS Lewis ficou de abril de 1917 até setembro do mesmo ano. Nesse tempo, conheceu o amigo Paddy Moore. Em novembro de 1917, Lewis batalhou na I Guerra Mundial, nas linhas de frente na França, e em abril de 1918, foi ferido na Batalha de Arras. Lewis tinha feito uma promessa com Paddy Moore que, caso um dos dois morressem na batalha, um cuidaria da família do outro. Paddy morreu em abril de 1918 e em novembro do mesmo ano a I Guerra Mundial acabou.
Lewis retomou seus estudos em Oxford, de 1919 até 1923, quando foi diplomado com Alta Distinção em Literatura Grega e Latina, Filosofia e História Antiga e em Língua Inglesa. Em março de 1919, Lewis publicou o livro Espíritos na Servidão com o pseudônimo de Clive Hamilton. O livro tinha ideias ateístas e seu pai dizia para Lewis não deixar o livro exposto em sua casa para os empregados não o lerem. Lewis, porém, garantiu ao pai que o Deus denunciado no livro não era o Deus no qual seu pai acreditava.
Em 1920, Lewis montou em Oxford uma casa para a Sra. Moore e sua filha, as quais eram mãe e irmã do falecido amigo Paddy, e começou a morar com elas a partir de junho de 1921. Em março do mesmo ano, morre William T. Kirkpatrick.
Em outubro de 1924, Lewis começou a lecionar Filosofia em Oxford como professor substituto. Em maio de 1925, foi eleito membro do Magdalen College, em Oxford, onde passou a trabalhar como professor de jovens que aprendiam Língua Inglesa e Literatura. Lewis ficou neste cargo por vinte e nove anos, transferindo-se em 1954 para o Magdalen College em Cambridge. Em maio de 1926, o primeiro encontro entre Lewis e o futuro amigo J.R.R. Tolkien aconteceu, e em 1929 Lewis tornou-se um teísta. Em Surpreendido pela Alegria, Lewis comentou sobre o momento que ele tornou-se um teísta: “No semestre do Trinity College, em 1929, eu cedi, admitindo que Deus era Deus, caí de joelhos e orei: talvez, naquela noite, eu fosse o mais desanimado e relutante convertido em toda a Inglaterra”. Em setembro desse mesmo ano, Albert Lewis morre de câncer em Belfast.
Em outubro de 1930 a Sra. Moore, Lewis e Warnie compraram The Kilns – uma propriedade próxima a Oxford, na qual Lewis e Warnie viveriam até o fim da vida. No ano seguinte, a reforma da Escola Inglesa proposta por Tolkien com o apoio de Lewis é aceita. Esta reforma reúne as disciplinas “língua” e “literatura’ em uma única matéria.
Em setembro de 1931, após uma longa conversa com Tolkien e Hugo Dyson, Lewis ficou convencido de que a fé cristã era real, e em 28 de setembro de 1931, Lewis retornou para a fé cristã, enquanto era conduzido na garupa de uma motocicleta em um passeio ao Zoológico Whipsnade. Lewis começou a frequentar a Igreja Anglicana – contrariando a opinião de seu amigo Tolkien, que era católico romano – na Paróquia Holy Trinity, em Oxford, onde permaneceu durante todo o resto de sua vida.
Em maio de 1933 Lewis publicou O Regresso do Peregrino. Nesse mesmo ano, as reuniões de Lewis com seus amigos, Os Inklings, são iniciadas. Em 1936, foi publicado o livro A Alegoria do Amor.
No dia 2 de setembro de 1939, quatro meninas evacuadas da II Guerra Mundial são acolhidas em The Kilns. Para distrair as crianças, Lewis iniciou uma história, que foi abandonada rapidamente, sobre quatro crianças refugiadas da guerra que ficam por um tempo na casa de um velho professor. Os nomes das crianças na história eram Ann, Martin, Rose e Peter. Foi o começo do que viria a ser seu maior sucesso.
Entre 1940 e 1941, Lewis deu palestras sobre o cristianismo para a Força Aérea Real da Grã-Bretanha. Em outubro de 1940, Lewis publicou O problema do sofrimento e, em 6 de agosto de 1941, fez a primeira das vinte e cinco palestras para a rádio BBC, que viriam a ser posteriormente o livro Cristianismo Puro e Simples. Em 1942 Lewis publica Cartas de um diabo a seu aprendiz, em 1946 publicou O Grande Abismo e em 1947, foi a vez de Milagres – Um estudo preliminar. Porém, em 1948, uma resenha fez com que Lewis revisasse o terceiro capítulo do livro e no mesmo ano, a edição revisada foi publicada.
Em 1950, Lewis recebeu a primeira carta de Joy Gresham, uma escritora americana de 34 anos, com quem se casaria anos mais tarde. Em 16 de outubro do mesmo ano, o primeiro livro da série Nárnia –O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa – foi publicado e assim nascia a famosa série As Crônicas de Nárnia.
No mesmo mês, Lewis inicia a correspondência com uma outra senhora americana chamada Mary. As cartas que Lewis enviou para ela foram publicadas em um livro chamado Cartas a uma Senhora Americana. Por Lewis ter o hábito de queimar as cartas que recebia, não temos acesso a nenhuma das cartas que ela enviou a ele, mas, neste livro, conhecemos um lado mais humano de Jack.
Em 1951, a Sra. Moore faleceu e o segundo livro da série Nárnia, Príncipe Caspian, foi publicado. Em 1952, Lewis publicou Cristianismo Puro e Simples e em setembro do mesmo ano, ele se encontrou pela primeira vez com Joy Gresham. Neste mesmo ano, A Viagem do Peregrino da Alvorada, que seria o último livro da série Nárnia, foi publicado. Em 1953, Lewis publicou A Cadeira de Prata – que é o quarto volume da série narniana – e, no ano seguinte, tornou-se professor titular de Literatura Inglesa Medieval e Renascentista em Cambridge, fazendo sua primeira palestra como titular no dia do seu aniversário. No mesmo ano, O Cavalo e seu Menino foi publicado. Joy, após ter se divorciado de seu marido, vai morar em Oxford, para não ter mais que encontrar o marido, que ficara nos EUA. Ela e Lewis viraram amigos próximos.
Em 1955, Lewis publicou Surpreendido pela Alegria e O Sobrinho do Mago. Em 1956, Lewis se casou no civil com Joy Gresham para que ela não fosse deportada. No mesmo ano ele ainda publicou A Útilma Batalha – ganhadora da Carnegie Medal – e Até que tenhamos rostos.  Ainda em 1956, a família Lewis descobriu que Joy tinha um câncer terminal nos ossos. Em março de 1957, Joy foi internada no hospital, e Lewis percebeu que estava apaixonado por ela. Lewis e Joy se casaram religiosamente no hospital. Em setembro do mesmo ano, Joy teve uma melhora e em dezembro, ela conseguia andar novamente. Em outubro de 1959, os exames de raios X revelaram que o câncer de Joy havia piorado. Em 1960, Joy e Lewis passaram a sua lua de mel na Grécia e, no dia 13 de julho do mesmo ano, faleceu Joy Lewis. Em 1961, Lewis fez um desabafo sobre o sofrimento de ter sua amada perdida no livro A Anatomia de uma Dor: Um luto em Observação. O livro foi publicado originalmente com o pseudônimo de N. W. Clerk. Neste ano, Lewis é internado com problemas nos rins e não pode ser operado. Lewis teve problemas de fraquezas, e se recuperou lentamente.
Em 15 de julho de 1963, Lewis sofreu um ataque cardíaco e foi internado. Ele sofria com a perda da concentração mental, e adormecia enquanto fazia suas atividades diárias. Lewis ficou em coma por quase 24 horas, e – contrariando as expectativas médicas – recuperou a consciência. No meio daquela madrugada, Lewis havia recebido a extrema unção e depois de sua repentina recuperação, Lewis perdeu novamente a consciência, recuperando-a apenas três semanas depois. Em 6 de agosto do mesmo ano, Lewis saiu do hospital e voltou para casa com um enfermeiro, tendo se demitido do seu cargo na universidade por não ter mais condições de exercê-lo.
Em 22 de novembro de 1963 às 17h30m, C.S. Lewis morreu em sua casa, uma semana antes de completar 65 anos.
Em 1964, o livro Oração: Cartas a Malcom, que havia sido preparado por Lewis antes de sua morte, foi publicado. E em 9 de Abril de 1973, Warnie Lewis morre. Warnie foi sepultado ao lado de seu irmão, e a tumba contém o nome dos dois e uma frase de Shakespeare: “Os homens devem, portanto, suportar suas vidas a partir de agora”. A frase estava em um calendário no quarto onde a mãe de C.S. Lewis, Flora, tinha morrido, e seu marido, Arthur, deixou a frase lá como um memorial até o fim de sua vida.

FONTE: comunidade influenciados por Lewis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A ANTROPOLOGIA SALMÍSTICA   Reflexões sobre a alma o tempo e o Eterno. O livro dos salmos é carregado de “sentimento espiritual”. Sen...